Anos de sucesso do Ebay podem estar no fim


22/06/2005

A eBay, com mais de 147 milhões de usuários no mundo todo – no Brasil ela tem parceria com o site de leilões Mercado Livre -, há muito é vista como a empresa de Internet sobrevivente que não erra. Mas essa era pode estar no fim. Fazer uma loja de comércio eletrônico na Internet é tão fácil que os vendedores não têm de depender da eBay para conseguir clientes. Fazer propaganda é simples e barato, graças a novas tecnologias de empresas como a Google Inc. E uma multiplicidade de sites de leilão concorrentes, entre eles a Amazon e a Yahoo, estão atraindo vendedores antes fiéis ao eBay.

O último aumento nas taxas cobradas pela eBay, em fevereiro, multiplicou as reclamações dos vendedores sobre a qualidade de atendimento ao cliente e a queda dos preços. Uma conferência recente de vendedores da eBay incluía um workshop sobre “Como desenvolver seu próprio site”. Pela primeira vez depois de dez anos de expansão acelerada, o tráfego do site americano da eBay caiu no primeiro trimestre, e o crescimento da receita foi o mais baixo da história.

Numa tentativa de aumentar o crescimento e ajudar os vendedores a ter mais sucesso, a eBay gastou US$ 1,5 bilhão nos últimos 18 meses para adquirir sites em áreas como classificados virtuais. Ela também investiu pesadamente em atendimento ao cliente, área à qual reconhece não ter prestado atenção suficiente. Por outro lado, a eBay continua a crescer num ritmo que a maioria das empresas invejariam. Seus mercados mais antigos, que começam a ficar maduros, estão sendo suplantados por áreas como Reino Unido, Coréia do Sul e China. Mais de 60% dos novos usuários em 2004 vieram de fora dos EUA. E essa expansão internacional ajudou a aumentar a receita em 51%. As informações são de O Estado de S.Paulo/WSJA. (CO)

Agência Estado

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.