Agências de propaganda buscam alternativas à crise

12/01/2009

Já prevendo um cenário "pós-crise", agências de publicidade devem intensificar campanhas e programas de prospecção de clientes em 2009. A idéia da Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro) é destacar a importância de se trabalhar a imagem das empresas diante de um cenário econômico turbulento. O objetivo das agências é tentar minimizar a tendência de corte nos custos destinados à comunicação nas empresas. Esse retrospecto foi debatido por representantes de Sindicatos das Agências de Propaganda (Sinapros) dos Estados e pela Fenapro, durante encontro realizado na semana passada, em São Paulo.

No evento, os publicitários sugeriram ações para incentivar os mercados regionais a manter o investimento em publicidade e realizar atividades que contribuam para o desenvolvimento das agências.

Para o presidente do Sinapro no Paraná, Kal Gelbecke, a classe deve focar ações na postura dos clientes. Segundo ele, sempre que há um cenário desfavorável, a primeira coisa que se pensa quando se fala em cortes é em verbas de publicidade. "Isso é um grande dilema, o que deveria ser motivo de maior investimento passa a ser prioritariamente, equivocadamente, descartado", afirma.

Segundo Gelbecke, é justamente no momento de crise que se deve investir no fortalecimento da marca e no aumento das vendas. "A comunicação é uma das ferramentas fundamentais para isso", atesta. Para Gelbecke, o custo para recuperar um espaço de mercado pode ser maior do que o gasto contido durante uma crise.

De acordo com a Fenapro, o setor de varejo e as indústrias de bens de consumo fazem parte da relação de empresas que deverão manter o foco nas ações de comunicação. Para os sindicatos, o comportamento dos anunciantes está variando bastante de acordo com o setor e regiões do País. "Em algumas localidades, por exemplo, as empresas ligadas ao setor automobilístico ampliaram as ações de publicidade, enquanto em outras, diminuíram, mas essas empresas já estão percebendo que não podem ficar fora da mídia e começam a retomar suas campanhas", afirma Ricardo Nabhan, presidente da Fenapro.

Internet pode ser a principal alternativa da publicidade em 2009

Para o presidente da secção Paraná da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing (ADVB), Rodrigo Florenzano, a internet deve continuar com toda a força em 2009. "A internet já é uma mídia popular, que não pode mais ser ignorada", afirma. Para Florenzano, a utilização de recursos multimídia, que vem tendo um crescimento acentuado nos últimos anos, deve ser intensificada no próximo ano. Segundo ele, o "marketing virtual" pode ser otimizado com a ferramenta.

"Se realizada uma ação eficaz, e se o consumidor for impactado pela mensagem, com certeza ele irá acessar o endereço do anunciante na internet, acessando o ponto-de-venda diretamente."

Quanto à situação do mercado diante da crise, Florenzano prevê que o impacto maior poderá ser refletido no primeiro trimestre. "A mídia de massa deve ter o maior impacto, já que as empresas tendem a ser menos ousadas e buscam a mídia clássica, jornais. A internet deve ter uma função destacada neste momento", diz.

Newton Almeida

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *