A internet por todos os lados


02/04/2006

Acordo cedo. Mesmo no final de semana, por força do hábito, acordo cedo. São 7:00 hs e já estou tomando café e lendo o jornal de domingo. Neste momento de lazer, sempre vou direto ao esporte, assunto que acompanho com interesse, lendo tudo sobre o meu time, o Internacional, outras modalidades, como automobilismo, e, também os colunistas. Depois de me interar sobre o esporte, tenho o costume de dar uma repassada nos outros cadernos e editorias, vasculhando as manchetes, colunas e também os anúncios publicitários. À medida que surgem assuntos do meu interesse, vou aprofundando a leitura.

É normal que informações sobre assuntos de nosso interesse prendam nossa atenção, mesmo quando não estamos procurando nada em especial. É por isso que notícias que fazem referência à internet causam um reflexo nos meus sentidos, apesar de não ser esse tipo de informação que estou buscando nesse momento. Afinal, normalmente procuro informação sobre internet na internet. Todos dias recebo diferentes newsletters, vasculho sites favoritos ou ainda busco notícias no Google e no Yahoo.

Nesta manhã chuvosa de domingo em Porto Alegre, me alonguei um pouco mais olhando o jornal, quando um fato me chamou a atenção. Viajando na leitura, por todos caminhos que eu seguia, nas diferentes editorias por onde eu passava e nos anúncios em que me detia, encontrei várias referências à internet. Isso, por si só, seria normal, pois o jornal, assim como a web, é um meio de comunicação e é comum que notícias, acontecimentos, fatos ou eventos causem interação entre os diferentes veículos. O que ressaltou a minha curiosidade, foi que diferentes assuntos do cotidiano (do jornal e da população) cada vez mais estão relacionados à web.

Começando pelo esporte e pelo Inter, conforme falei antes, li a matéria que fazia aluzão ao bom momento do clube também nas finanças, onde por duas vezes a internet era citada. No caso, informava que o site oficial do time havia aumentado muito a audiência. Além disso, citava uma ação promovida pela fornecedora do material esportivo, onde os torcedores podem participar de um concurso para escolher o modelo para uma nova camiseta, enviando desenhos através de um site. Também o colunista Ruy Carlos Ostermann noticiava a primeira entrevista do ano do “Encontros com o Professor” informando também que a divulgação do evento estava sendo feita em outdoors, numa festa de lançamento, e, é claro, no site.

Na matéria principal, que também era uma das manchetes da capa, logo nas primeiras páginas informava sobre as relações entre MST, a Via Campesina, os governos venezuelano, de Hugo Cháves e de Fidel Castro, em Cuba, com os protestos mais recentes como a invasão e destruição do horto da Aracruz Celulose, em Barra do Ribeiro, próximo a Porto Alegre. Sem entrar em maiores detalhes ou tomar posicionamento sobre um assunto tão delicado, me atenho à referência ao assunto internet que é sobre o que estamos tratando. Também aqui, um dos principais destaques da matéria “Conexões para o protesto – Os links do MST”, era a globalização dos grupos e dos protestos e a existência de diferentes sites com informações e orientações voltadas aos camponeses e trabalhadores rurais, onde os jornalistas pesquisaram informações para produção da matéria. É a internet servindo como fonte investigativa e informação jornalística.

Logo a seguir, surge uma matéria sobre a escolha do padrão da TV digital brasileira, e ao lado, um texto informa sobre o lançamento do blog Diários de Brasília, onde vai ser possível acompanhar informações coletadas na Capital Federal e atualizadas 24 hs por dia, sobre política, economia e bastidores. O desafio, segundo Klécio Santos, editor-executivo da RBS em Brasília, é fugir da cobertura tradicional feita pelos jornais e agência de notícias. Para isso, o meio escolhido foi a internet, e seguindo a forte tendência atual, ao invés de um portal, toido o material vai ser disponibilizado em um blog. Interessante, né? Um portal (ClicRBS) ao invés de criar um novo portal, vai veicular informações em um blog. Espero que aqui, a qualidade e o bom senso dos profissionais envolvidos não permitam que depoimentos como o do publicitário Duda Mendonça na CPI dos Bingos, seja mostrado nem sequer noticiado.

Seguindo adiante e chegando na Economia, vejo dois breves destaques sobre a liberação de um lote de restituição do imposto de renda, que pode ser pesquisada no site da Receita Federal, e também sobre a prorrogação do prazo para entrega da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), informando também os endereços de dois sites oinde o programa pode ser baixado.

O mais interessante é que as notícias que destacamos não tinham como foco principal, tecnologia ou publicidade ou negócios. Todas são relacionadas a diferentes assuntos o que mostra que a internet está presente nos mais diversos momentos da nossa vida, cada vez com mais freqüência. Isso que, para encurtar a história, ou o artigo, não fui aos cadernos de lazer e informática do jornal, onde muito provavelmente, encontraríamos várias outras referências à web.

Cabe ainda salientar que pelos diversos textos, colunas e matérias que passei, é comum constar o e-mail da editoria ou do jornalista responsável. Da mesma forma, nos diversos anúncios de publicidade, os endereços dos sites dos anunciantes merecem destaque.

Já não é mais tão comum vermos endereço (físico) ou telefone nos anúncios ou matérias, em jornais, TVs ou rádios. Agora tudo faz referência à internet. Agora tudo é digital.

Bem-vindo ao mundo online.

Ricardo Prates Morais é editor da emarket News e consultor da emarket (www.emarket.ppg.br), agência de marketing e publicidade online.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.