A banda larga vai mudar os rumos da internet brasileira


Até 2001, o Brasil engatinhava pelas teias da web. E a internet continuava sendo uma promessa. O principal problema para a expansão e afirmação da internet no mercado publicitário brasileiro estava nas dificuldades encontradas nas conexões. A conexão discada, mesmo que em “super” modens de 56 kbps, irritava e levava à loucura mesmo o mais zen dos internautas, ainda que estivessem navegando por prazer, e não a trabalho.

Nos Estados Unidos, estudos mostram que serviços de acesso à internet em banda larga devem atingir quase 70 milhões de pessoas até 2010. Isso em uma população online de aproximadamente 90 milhões, que será o universo de internautas norte-americanos nos próximos cinco anos. Esses números incríveis mostram que 80% dos domicílios nos EUA que estiverem conectados a internet terão acesso banda larga.

Outra pesquisa, realizada pela iSuppli, informa que depois de um forte crescimento em 2004, a expansão do número de assinantes de conexões banda larga ao redor do mundo deve desacelerar progressivamente nos próximos quatro anos. A saturação de usuários de banda larga nos países mais desenvolvidos vai causar uma certa estabilização na curva de crescimento da banda larga. Porém, países em desenvolvimento com grande potencial de consumo de banda larga, como China, Índia e Brasil deverão sustentar o aumento na utilização da banda larga nos próximos anos. A China, por exemplo, já atingiu a marca de 100 milhões de internautas, sendo que 30 milhões utilizando conexões de banda larga. E seguindo esse caminho, também vem o Brasil, subindo a ladeira.


E bota subida difícil nisso. Cá, nas terras de além mar, a morosidade na adoção de tecnologias mais modernas de conexão até cerca de dois anos mostra números que, apesar de, momentaneamente incipientes, são muito promissores. O Brasil tem hoje cerca de 20 milhões de internautas, 4 milhões apenas com conexão em banda larga. Temos muito que crescer. E nisso está o fato promissor.

Pegando carona nessa onda, vem os web marketeiros brasileiros. Entre outras vantagens, a facilidade de conexão vai influenciar muito no estouro da bolha da publicidade online brasileira. Porém vamos ter que buscar soluções para outros pontos negativos que poderão comprometer o avanço do comércio eletrônico e dos negócioos online, de uma forma geral. Estou falando de segurança, mas isso é assunto pra outro papo.

Ricardo Prates Morais é consultor em marketing e publicidade online da agência emarket e editor da emarket News.

Please rate this

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.