80% se consideram vítimas de propaganda enganosa


30/04/03

Oitenta por cento dos consumidores já se sentiram enganados quando compraram um produto que tinham visto antes em algum comercial. A questão foi colocada por um levantamento online realizado pelo QualiBest. Apenas 12% responderam que “não”, nunca se sentiram enganados, e 8% disseram que não se lembravam (Fonte: MMOnline).

Comentário:as agências de publicidade produzem ótimos comerciais com o objetivo de atraírem a atenção dos clientes de seus clientes, ou seja, construir marcas, vender produtos e serviços, etc, dentre outros.

Até aí nenhum problema. Propaganda DEVE vender. E agências devem fazer propaganda. PORTANTO AGÊNCIAS DEVEM VENDER. O problema é que a estratégia adotada para muitas campanhas parte do conceito de venda de sonhos (que funciona). Isso significa que essas campanhas são criadas para fazer com que o potencial consumidor queira se parecer/viver/sentir/estar na pela dos atores que performam a propaganda. E nesse contexto, o produto/serviço/marca tem a chance de assumir papel ativo na share of mind desse consumidor. No fundo, é o desejo das pessoas que faz isso acontecer. Mas quem se importa?

O problema é que, seja por performance inferior do produto, muitas vezes fruto de expectativas exageradas do cliente, seja pelo implacável efeito “espelho” ou “volta ao cotidiano”, esses consumidores se deparam com a realidade: que por melhor que seja o produto, ele, consumidor, será sempre a mesma pessoa (porque não são produtos que mudam pessoas). E é nesse momento que vem o senso de “enganação” frente ao produto/serviço/marca. Rejeição, traição… o tiro sai pela culatra.

A fatia dos consumidores que se sentem mais enganados é a dos que têm mais de 40 anos. Isto se deve, principalmente, à sua distância das novas tecnologias e dos conceitos e rupturas que vêm surgindo rapidamente nos últimos anos. Esta fatia de consumidores tende a não aceitar tão facilmente as novas tendências de mercado, quanto os consumidores mais jovens. (segue)

Please rate this

 
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *